logopequeno cópia3.png

Talvez... - Um texto sobre medo

peev2.png

      Talvez.. Talvez eu tenha medo de pensar como deveria, de agir como a vida me ensinou com os tropeços pelo chão e de falar como o meu corpo ordena, mas a mente não obedece.

 

          Sim, a fala transmite os sonetos do coração, os desejos da alma, os sorrisos dos pensamentos. Talvez eu devesse ter tentado te encontrar mais vezes, te abraçar mais vezes, me permitir esbarrar em ti nos corredores da escola ou enviar aquela mensagem no fim da noite, apenas com um boa noite. Mas não... O medo consome, afugenta, esquenta, entarcede os pensamentos mais lindos e os leva a uma nuvem negra, repleta de insegurança. Ah, medo! Quem dera eu fosse forte o suficiente para encontrar com seu olhar diariamente, tornar a dose diária do seu sorriso, ter um motivo para voar, mesmo sem voo. Voar em ideias, voar em minha imaginacao gélida, amedrontada pelo preconceito, pela vontade de expandir o meu eu, de contar para o mundo quem sou e de onde vim.

 

          Ah, medo... Talvez pudesse sim te deixar de lado só por um instante e testar os sonetos do meu coração, deixar o sol encostar no rosto sem medo de olhares e pegar na sua mão sem a incerteza do amanhã, feliz com a formação de uma rosa sem espinhos. Pega leve! Faz uma curva de felicidade, rega seus amores com luz, com afeto, com ensinamentos. Quanto a parte ruim, que fique trancada em uma caixinha e aberta anos depois, revelando a libertação de um novo tempo, o surgimento de um novo eu.

 

Esse texto faz parte do 5 lados, projeto desenvolvido entre os blogs A Gangorra, Casa de Seu Frô, Estórias para Contar, Parede de Sonhos e Acenda essa Luz. Consiste em 5 lados de 15 temas diferentes. Este texto é o de número 4 – Um texto sobre algum medo.  

Texto por: @iangusmao

Foto por: @lucaspeev

Está preparado? - Uma carta para alguém

5LADOSTEXTOCARTA.png

       Conseguiria viver se a vida fosse um eterno replay? Imagine só gravar 24horas e reproduzi-la por eternos 365 dias? Seria ainda mais opcional o destino e o conceito da palavra felicidade. É como fazer morada num looping e ao seu ápice, ficar parado de cabeça para baixo.

 

        Felizmente, os dias podem ser coloridos de várias maneiras, desde um azul claro pincelado cuidadosamente à um cinza escuro com as marcas da tristeza. Se esse é um manual a seguir eu definitivamente não sei, sou eterna criança... A certeza que tenho é que vale a pena esperar por novos momentos, por insistir naquilo que te inspira confiança e que te faz sorrir. Pode demorar 5 dias, 15 dias, 1 mês, 3 meses: Será seu.

 

          Ao chegar, cative. Apareça. Demonstre. Faça prosperar. Devolva sorrisos com sorrisos, gestos simples com gestos simples, indiferenças com sorrisos, silêncio com sorrisos e rejeição não com superioridade, mas com a humildade de mostrar que o dia continua pincelado de azul. Quanto a intensidade do que acontece, tire os pés do chão, se permita voar, flutuar, sentir-se livre. Se o naufrágio vier, você está preparado para mais um mergulho intenso, marujo. O calejado coração remendado de sofrimentos te salva.

 

    Enquanto isso, deslize suavemente pelas doces nuvens que o céu te permite observar diariamente, acomode-se confortavelmente próximo as estrelas que ouviram seu choro todos esses anos e aí sim, aproveite! Você não sabe, mas o mundo está ali sempre pronto para observar mais uma vitória.

 

       Esse texto faz parte do 5 lados, projeto desenvolvido entre os blogs A Gangorra, Casa de Seu Frô, Estórias para Contar, Parede de Sonhos e Acenda essa Luz. Consiste em 5 lados de 15 temas diferentes. Este texto é o de número 3 – Uma Carta para Alguém.  

Texto por: @iangusmao

Foto por: @lucaspeev

Assim como a maré...

         Ei, mocinho(a), acorda! Olha ao lado, liga o abajur, põe a pantufa, vem sonhar comigo observando todas essas estrelas que brilham para nós. Faz um morada comigo aqui na varanda e planeja silenciosamente todos os melhores dias que teremos. Quanto aos piores, as lembranças do nosso coração remendado de tempos passados irão nos guiar.

 

        Lembra que te acordava para ver o sol na praia? As recordações dele relembram nossos dias... as estrelas e a lua, nossas noites. Sejam elas quais forem, o importante é que você me trouxe dias mais coloridos, constelações mais vibrantes, passos mais firmes, paz interior.

 

        Em detalhes simples ou rebuscados, como o acordar e sentir tua respiração, preparar teu café, te levar em casa, acompanhar na faculdade ou mesmo sentir teus olhos brilharem ao me ver: não sei dizer ao certo, só consigo expressar ao mundo o quanto te desejo a cada manhã, deixando as incertezas e inseguranças de lado, criando um novo jardim.

 

        Claro que assim como a maré, seremos calmos, serenos e tranquilos, e outras vezes, agressivos, explosivos e imprevisíveis. Como todo ser humano, ninguém é de ferro e a maré alta chega para todos. Todavia, ao chegar esses dias, se lembre que o teu sorriso pela manhã alimenta minha felicidade. As flores que lhe encaminhei alimentam sua alma e os beijos que trocamos selaram um fraterno respeito de eternos namorados. Ei menino, acorda! Vem viver o sonho aqui fora.

Texto por: @iangusmao

Foto por: Desconhecido

Nosso desenho

         Hoje somos só nós, querido: Eu e a indecisão. Aliás, há tempos estamos nesse mesmo trajeto de viagem. Unidos, trilhando caminhos com o destino... Aliás, que destino? Aquele mesmo que me fez acreditar em sorrisos diários? Ou aquele que me dizia ao acordar que a paciência é virtude da vida?

        

         Ah.. Nesse frio, nossos jardins estão fechados, o gramado molhado, o céu nublado, os corações ilhados. Os pensamentos distantes, assim como todo aquele desejo inicial que você tinha por mim. E aí? Tudo se resulta num único propósito que você, humano sentimental, resiste em acreditar: A vida é feita de retalhos de sofrimentos... É tão difícil aprender a conviver com isto.

 

         Lembra da música de criança “Cola o teu desenho no meu pra vê se cola”? É a forma mais sutil de dizer que o seu mural de retalhos teve início, ainda que pequeno. Mas sim... com a persistência de novos amores e o coração latejando por sorrir novamente, permita-se enxergar o outro lado do sol todos os dias, mesmo que entre as nuvens! Pode demorar minutos, dias ou até meses. Mas o sol está ali, o arco-íris está ali, o próximo bom dia, dormiu bem? que você espera também estará por ali. Prossegue marujo, não desiste. A indecisão faz parte do escudo que temos para não machucar o próximo a te fazer feliz.

Texto por: @iangusmao

Foto por: Desconhecido

Faz parte sentir saudade?

     Hoje, a uma distância de céu que corta o país, só nos resta lembrar de saudade. Saudade da simplicidade, saudade dos seus beijos, seu carinho, do olhar simples me dizendo unicamente para deitar no seu colo e sentir-me em um mundo complementar.

 

        A saudade não deveria um sentimento rotineiro, mas um bem-estar passageiro. Faz parte sentir saudade? Em um outro mundo tão diferente, maior, cercado de pessoas diversas e com tudo na hora e ao mesmo tempo, qual a razão do motivo dos sonhos noturnos e pensamentos diurnos estar em um outro lugar tão longe? O que o seu sorriso e o seu beijo têm que aqui não encontro? Qual será o refúgio encontrado aí que não reflete no sol daqui?

 

         Talvez sejam questionamentos tão vazios, mergulhados no sentimento rotineiro que cerca o meu olhar. Esse olhar que você já cegou em vários perfeitos momentos que me senti protegido perto de ti. Mas, você pode sutilmente despedaçar todo esse momento, entende? Uma mensagem não correspondida, uma frieza em retribuição a palavras doces, um simples bom dia não recebido quando acordo alegremente em busca de uma lembrança sua no celular... em vão.

         

         Ah sentimento, pega leve! Faz curva assim como os aviões: sutis, singelas, sem grandes turbulências e com um serviço de bordo impecável. Faz jus ao seu lado bom, revela o desejo e a alegria de estar junto, de sentir-se completo, amado, feliz! E ao pousar, demonstra todo o seu carinho, remaneja esse afago em boas energias e mostra ao mundo que todos nós podemos ser felizes, mesmo vivendo uma paixão quase impossível. E as mágoas? Que decolem novamente e busquem se transformar em felicidades passadas.

Texto por: @iangusmao

Foto por: @iangusmao

Como você é?

          Imagine só se fóssemos como o sol, como a natureza... Precisos, simples, coerentes e totalmente unidos em busca de uma felicidade, de algo novo. Nós não. Levados sempre ao lado mais obscuro, aos caminhos mais íngremes, as vezes até ao abismo imaginário. Difíceis de conversar, de entender, de ajudar, de sermos nós mesmos.

 

         A natureza não aguenta sofrer. Ela devolve. Da forma dela, mas devolve. Nós, humanos, também. Porém, não sabemos sofrer em silêncio e sozinhos. Temos que divulgar, enaltecer em aplicativos com músicas tristes, incubir a sociedade de que o sofrimento é culpa de alguém. O coração machucado realmente não é atingido sozinho. A flecha sempre vem de cima, atravessa os pensamentos e na maioria das vezes, erra o alvo e o destino.

 

         Mas, e se você fosse como o sol? Previsível, sensato. Nasce em horários determinados, tem picos, se põe também previsto. E ah, quando não aparece, se sabe que o dia será escuro, nublado, recheado de nuvens carregadas, maré alta, assim como nossos sentimentos de culpa e instabilidade. Seria bem mais simples ser como o sol, não? Imagina? Tudo cronometrado e sensato, sutil como a brisa do fim da tarde, nocivo como a luz forte do meio dia.

 

         Pense bem! Ser como o sol pode trazer benefícios, estabilidade, conforto e talvez segurança ao agir. Mas, o que seria de nós se não existisse o tão intenso mix de sensabilidade, emoções e surpresas? Elas renovam nossos ciclos, nos faz parar para observar coisas singelas, nos permitem acordar cedo para olhar aquela mensagem que não chegou, para assistir ao acordar do dia da fresta da janela, se arrumando para a jornada diária.

 

         Seja simples, verdadeiro, seja você mesmo! Esse caminho, “eu sei de cor”. Imagina se o que dói em mim doesse em você ? Que possamos sempre ter a certeza do sol, que nos conquista diariamente com uma ideia de um amanhã melhor, de um sutil bom dia, de uma demonstração digna! Antes de decidir pelo ponto final, coloque uma vírgula... Ela muda os destinos!

Texto por: @iangusmao

Foto por: @iangusmao

(Re)Começar

      Ah tempo... tempo, tempo. Me desculpe por todas as vezes que ironicamente te fiz esperar meu acerto. Por tais vezes que te fiz colaborar com meu desespero e te dei pressa para chegar aquele profano momento. Se para o trabalho se atrasa, é culpa do tempo. Se a chuva entardece o dia mais cedo, a culpa é do tempo. Se o coração partido não se recupera, o culpado é o tempo. Mas, se o amor tarda, a culpa é de quem?

 

         É ironicamente estranho, mas... Demoramos a recomeçar, a nos incentivar, a nos amar, a nos permitir. Não dá para entender, nunca conseguiremos nos decifrar. É intenso recomeçar. Já imaginaram? Se perder e se magoar é rotineiro, mas (re)começar é fantástico! Se permitir, se encontrar num outro abraço, se completar. Ou, além disso, se entregar... Simplesmente, fazer o mundo girar.

 

         Desculpe, tempo. Ser simples é o único desejo. Encontrar um porto seguro, um novo rumo, um novo encontro de sorrisos. É ter vento leve ao fim da tarde, é assistir ao nascer do sol imaginando um outro horizonte, um outro destino, UM NOVO DESTINO! E sim, tempo! Obrigado por me fazer recomeçar, me permitir um outro beijo, um outro corpo, um outro sentimento. E sim, que toque fantástico! Que programinha de fim de semana tranquilo, singelo, sem promessas: Eu, você, um cinema, amigos, vinho. Pra que mais?

 

         Que o teu abraço seja amplamente ligado em todas as minhas vontades e desejos de simplesmente ir onde você for, trilhado de mãos dadas com um destino certo: o de buscar em cada pôr do sol uma razão para sorrir e agradecer. Que não seja só mais um ciclo de recomeços... Que seja um motivo para cativar cada indivíduo que cruza o seu caminho durante a ida ao trabalho, conhecido ou não, que faça o NOSSO MUNDO GIRAR, recomeçar.

Texto por: @iangusmao

Foto por: @iangusmao

Eu volto já!

     Ei menino... Me espera! [...] Espera pelas longas noites sem dormir semeando sua foto e sua palavras fofas em mim. Espera pelas intermináveis situações em que você me deixava na porta, de braços cruzados e com os olhos marejados de emoção, observando o vai e vem dos carros, a caminhada das núvens ao horizonte e a esperança incontrolável de te ver dispontar e ir correndo para aquele abraço caloroso que me confortou em momentos propícios.

 

         Lembra de nossos contatos iniciais? Eu, minha insegurança de sempre, te achando o mais lindo príncipe de todos. De olho nas suas fotos, pensando nos teus gostos preferidos e tentando decifrar seu mundo, seu pensamento. O seu jeito difícil, meio intocável me instigava, me fazia querer mais, saber mais, ter mais. Será que pairava entre nós aquela neura de signos? Mas, caramba! Você e eu tínhamos uma excelente combinação!

        

         Ah, o nosso jantar... Eu levaria flores, chocolates, um mundo para ter aquela noite! Se tínhamos reciprocidade sobre isso, é questionável. Mas havia desejo, muito, muito desejo.. De um simples olhar, um contato visual, um abraço, um beijo. Te desbravar, te situar, fazer um pouco parte deste universo seu.

 

         E aí? E aí, menino, sinceramente eu não sei. A noite ficou eternizada, seu beijo eternizado, a minha insegurança abalada, traçada com um possível futuro incerto. Sim, conte com a neura dos signos. Eu rascunho histórias, momentos, mesmo que eles sejam que nem em aplicativos, duradouros e eternos por 24 horas, até sumir completamente. Eu imagino que você ainda tenha sinta a ferida que o seu passado lhe fincou. Essa bendita ferida que te deixa trocar vários desejos internos e profundos que lhe convém pelo medo, pela incerteza, até mesmo pro longas noites de rua com amigos e uma cerveja, esquecendo (ou tentando) de todo o ruim que lhe causaram. No seu peito, menino, há de surgir um novo amor, uma mágoa partir, uma ferida se fechar, um novo ciclo começar.

 

         Mas, eu não te entendo. Não relaciono/comparo com o seu signo, muito menos com a sua alma ou as suas desculpas depois desse jantar, esse único e perfeito jantar. Mesmo você com outro, com o álcool, com os amigos ou com quem quer se seja, seu coração despertará para um novo momento. Mas, cuidado, não seja tão devagar ou tão rápido! Coração despertado sente, lateja, martela, busca sempre um complemento. E quando ferido, menino... Ele amargura novamente, chora cada perda, simplesmente por não conseguir um final feliz.

Texto por: @iangusmao

Foto por: @lucaspeev

Estreia - O Sol da Manhã

          Ah, logo pela manhã... Um dia ensolarado, típico de longos sorrisos, rotina turbulenta e música no fone de ouvido enquanto caminho para o trabalho. Tudo isso, externo, longe das nuvens nebulosas que habitam em mim. No fone de ouvido, um MPB leve, propício para relembrar momentos e curtir o dia. No coração, uma melodia quase que fúnebre, rebobinando todos as feridas e intempéries que o universo conspirou.

 

         É como um trem que parte todos os dias no mesmo horário, sabe? Você sabe o destino, mas não pode prever se ele quebrará ou em qual estação o seu destino pode estar. Sim, o destino, o tal famoso destino tão pronunciado na boca das pessoas. Ele existe... Ou será uma desculpa para nos confortarmos a cada erro ou até mesmo a cada acerto?

Será que a sua partida me fez bem? Eu prefiro acreditar que o nosso jardim criado ao longo de anos pode ter simplesmente sido remodelado com novas flores para acertar o destino de alguém que deseja ser feliz, que possa acordar em cada manhã ensolarada e realmente viver longos sorrisos e ouvir a MPB leve ao caminho do trabalho...

 

         Me lembro nas entrelinhas do pensamento as variadas vezes que ouvi você chegar em casa altas horas da noite, sentar na mesa para jantar aquela comida já fria e murmurar que o amor não floresce mais, que ele é desculpa para se prender sem motivo. Sim, as palavras fortes eram essas: sem motivo. Talvez o fato de se entregar a uma nova vida, uma casinha rodeada de flores com quadros pela sala, um sofá confortável, o café no final da tarde com o possível amor da sua vida seja uma fatalidade quando se trata de simplesmente não ter motivo. Nem sempre o sol do lado de fora reflete a felicidade do lado de dentro.

 

         Enquanto nós [...] Aliás, eu? Cultivo uma pequena flor em casa. A flor da incerteza, mas também a flor do destino. Uma flor intensa, na qual deposito todos os meus sorrisos, toda a minha esperança de novos dias, de um novo ciclo e, principalmente, de um dia ensolarado também por dentro.

Texto por: @iangusmao

Foto por: @lucaspeev